.

.

.

17 de novembro de 2010

.


- Quando você atingir a beleza das estrelas,
quando você tocar no brilho de todas elas,
não se esqueça...
Mande uma gota de ternura, um clarão de amor,
para que meus braços não afaguem o abandono
e o meu coração deixe de caminhar para sempre na desesperança!


(José Mauro de Vasconcelos - O veleiro de cristal)

. .

4 comentários:

Leo disse...

Te mando uma gota bem grande, dentro de um balde transbordante.

Beijos e ternura, Suzi!!!

AC disse...

Palavras que envolvem, que tocam, que penetram fundo...

Beijo :)

Gisa disse...

"Gota de ternura", que imagem terna...
Acho que quero muito algo disto!
Um bj.

Ná* disse...

Esse livro é maravilhoso!
Ensina muito ^^