.

.

.

10 de janeiro de 2011

.


Tenho pela mentira um horror quase físico.
Sinto-a à distância e agora... neste mesmo momento...
sinto-a vaguear, asquerosa e suja, em volta da minha alma que vibra no orgulho de ser pura.
Se os outros não me conhecem, eu conheço-me, e tenho orgulho, um incomensurável orgulho de mim!


(Florbela Espanca - Diário do último ano)
(06/09/1930)



Sou assim e pronto, caceta!
A natureza me fez e me quer assim!
Por mais que às vezes eu sofra com isso,
eu amo ser assim, eu gosto do meu jeito de ser.


(Roberto Freire - Coiote)

.
.

4 comentários:

Juuh Nascimento disse...

:) Gosteei!!

AC disse...

Suzi,
A sua postagem instiga a procurar o que de melhor tem a vida e vivê-la intensamente!

Beijo :)

Lu Tostes disse...

AMEEEEI!!! E me fez lembrar da Ana Jácomo... "Eu até já tentei ser diferente, por medo de doer, mas não tem jeito: só consigo ser igual a mim." :)

Fonte: http://anajacomo.blogspot.com/2010/12/sensibilidade.html

Mariana Oliveira disse...

Por mais que eu sofra com isso e as pessoas não entendam, sou assim e não irei mudar.

PS.: Adorei a foto!

Beijoos.