.

.

.

23 de novembro de 2010

.



Amedrontavam-me, na morte,


não o ter de perder o que eu possuia e era...




Não pelo presente, ou o passado.
O que eu temia, era perder o meu futuro:
o possível de coisas ainda por vir, no avante viver,
o que talvez longe adiante me aguardava.
A vida está toda no futuro.


(Guimarães Rosa - Estas estórias)

.
.

8 comentários:

Gisa disse...

Este sempre foi o meu grande medo na morte. A perda do futuro e daquilo que eu nunca poderei vivenciar.
Um bj.

Priscila Rôde disse...

E as vezes não consigo correr a favor do meu tempo, contra o tempo dela...

Beijos

PauloMitchell disse...

Adorei o que me disse :)
Infelizmente não podemos arrancar de nós algo que nos dá vida, não é?
Beijo *

marcelo.gr2008 disse...

Estou à espera do que adiante me aguarda.Grande escritor de minha terra.Escreveu como poucos.
Su,vou feliz.Volto com girassóis e margaridas p/ vc.
Te beijo!

ErikaH Azzevedo disse...

Mais do que estar no futuro a vida estarmesmo na fé que se tem no adiante, no que ainda está por vir...
Lindo esse excerto amora.

Meu beijo a vc minha menina.

Erikah

Leo disse...

Eu não sei se tenho medo do futuro que aguarda, a gente não sabe se será bom ou não, eu li algo do caio que dizia algo como: melhor ficar com o quase do prosseguir e doer.

bom, vc deve saber qual é. kkkk

Beijão, Suzi!!!

Rita Norte disse...

É verdade, "A vida está toda no futuro" e não há pior que perder o nosso futuro. Gostei muito.

Pérola Anjos disse...

A vida está toda no futuro, no presente, no passado, sejam eles perfeitos ou imperfeitos. Nada do que vivemos se apaga, tudo o que vivemos nos direciona, tudo o que viveremos leva-nos além.

Beijos, menina iluminada!