.

.

.

22 de julho de 2010

.

Preciso do teu silêncio
cúmplice
sobre minhas falhas.
Não fale.
Um sopro, a menor vogal
pode me desamparar.
E se eu abrir a boca
minha alma vai rachar.


O silêncio, aprendo,
pode construir. É um modo
denso/tenso
— de coexistir.
Calar, às vezes,
é fina forma de amar.


(Affonso Romano de Sant'Anna)


.

7 comentários:

Lia Araújo disse...

Lindo demais! *-*

Não.... perfeito!

boa quinta ;]

Alice disse...

'Calar, às vezes, é fina forma de amar'

Perfeito amiga.

Bjo

disse...

Lindo !!
Concordo com a Lia e a Alice, perfeito.

Bjos

Leo disse...

Gosto muito desse poema, e acho triste que poucos conheçam Affonso.

Te ofereço girassóis
Silêncios e um beijo!

Ivanúcia Lopes" disse...

"é um modo denso/tenso - de coexistir"
Liindo poema!!

Beijos!

Karine Melo disse...

Lindoo, Susy!!

beijo e bom final de semana, flor :*

ErikaH Azzevedo disse...

Silencio qdo é companhia é lindo, é amor na forma sublime, desses que dizem...nada posso dizer, mas estou aqui com você.

Mas silencio que é omissão e ausencia de sentimentos , esse é melhor que mantenhamos longe, não é amar, é a maneira mais usada de desprezar...assim que sinto.

Eu consigo diferencias os dois tipos de silencio.

Bjos linda

Erikah