.

.

.

16 de julho de 2010


.


.
A poesia está guardada nas palavras
É tudo que eu sei
Meu fardo é não entender quase tudo
Sobre o nada eu tenho profundidades
Eu não cultivo conexões com o real
Para mim poderoso não é aquele que descobre o ouro
Poderoso pra mim é aquele que descobre as insignificâncias do mundo
e as nossas
Por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil
Fiquei emocionado e chorei
Sou fraco para elogios.



(Manoel de Barros - Tratado Geral das Grandezas do Ínfimo)

.
.

2 comentários:

ƸӁƷBeautiful Butterfly WomanƸӁƷ disse...

AMEIII!!!!VC.ARRASA EM SEUS POSTS.PARABÉNS!!!BJUS MEUS!!!

ErikaH Azzevedo disse...

O Manola é o meu poeta das miudesas, ele quem me ensinou a ver belezas nessas pequenas coisas, muitas vezes vistas como insignificantes...meu bom velhinho...adoro o jeito como ele brinca com as classes gramaticais, e desorganiza tudinho...adoro.

Tu e tuas escolhas Suzi...vc é um pouquinho eu, eu sou um pouquinho vc.

Bjos menina.

Erikah